segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Concerto Lírico com Orquestra de Câmara Goyazes e Solistas Convidados

Data: 23 de Agosto de 2009 – Domingo
Horário: 11 h
Local: Teatro Goiânia
End.: Av. Tocantins, esq. com Av. Anhanguera, Centro
Entrada Franca

PROGRAMA

1. GIOACCHINO ROSSINI: Abertura, da ópera “L’Italiana in Algeri”
2. GEORGES BIZET: Habanera, da opera “Carmen”
3. GEORGE GERSHWIN: Ária “Summertime”, da ópera “Porgy and Bess”
4. LÉO DELIBES: Dueto “Sous lê dome épais”, da ópera “Lakmé”
5. GIUSEPPE VERDI: Ária “Sempre libera”, da ópera “La Traviata”
6. ANTONIO CARLOS GOMES: Trechos da ópera “Il Guarany”
· Cena e Ária de Peri: “Vanto io pur superba cuna”
· Canção do Aventureiro: “Senza tetto, senza cuna”
· Cena e Dueto de Ceci e Pery: “Sento una forza indomita"



Solistas: ANGELO DIAS – Barítono
MÁBIA FELIPE – Soprano
MICHEL SILVEIRA – Tenor
SABAH MORAES – Soprano
VANESSA BERTOLINI – Soprano

Regente: ELISEU FERREIRA

Release

A Orquestra de Câmara Goyazes apresenta no próximo domingo, dia 23 de agosto, às 11 h no Teatro Goiânia, um Concerto lírico. Sob a direção do maestro titular Eliseu Ferreira, o concerto contará com a participação de expoentes goianos do canto lírico: Ângelo Dias (barítono), Mábia Felipe (Soprano), Michel Silveira (Tenor), Sabah Moraes (Soprano) e Vanessa Bertolini (Soprano). São cantores radicados em Goiás, mas são destaques na música lírica produzida no Brasil. A realização é do Governo de Goiás, por meio da Agência Goiana de Cultura – AGEPEL. A Entrada é franca.

O programa a ser apresentado é composto de trechos de óperas de grandes compositores, o que normalmente chamamos de “Cortina Lírica”, ou “Concerto Lírico”. São números musicas (aberturas, árias, duetos) que melhor representam as obras consideradas imortais do repertório operístico: “Carmen”, “Porgy and Bess“, “La Traviata”, “Il Guarany”, etc, além de trechos famosos de óperas menos conhecidas, como é o caso do Dueto da ópera “Lakmé”. É uma boa oportunidade para ouvir excelente música de concerto executada pelos jovens profissionais da orquestra, juntamente com vozes experientes do canto lírico goiano.

A ORQUESTRA
Uma das unidades da Agência Goiana de Cultura – AGEPEL, A Orquestra de Câmara Goyazes foi fundada em agosto de 1999 com músicos oriundos da antiga Orquestra Filarmônica de Goiás. Foi criada com o objetivo de ser instrumento de difusão de obras musicais escritas especificamente para orquestra de câmara. Tem realizado uma grande quantidade de concertos em temporadas no Teatro Goiânia, além de numerosos concertos no interior do Estado. Considerada uma das melhores orquestras de câmara do Brasil, apresentou-se em diversos festivais como no Festival Vale do Café (RJ), no Festival Internacional de Juiz de Fora (MG), no Festival Canto da Primavera e no Festival Internacional de Cinema Ambiental (FICA). Solistas de renome nacional e internacional se apresentaram frente à orquestra, tais como o oboísta Alex Klein (Sinfônica de Chicago), os violinistas Emanuele Baldini (OSESP) e Daniel Guedes, o violonista Turíbio Santos e o contrabaixista Milton Masciadri, além de artistas como o violeiro Roberto Correia e o cantos Marcelo Barra. Esteve sob a direção do violinista Alessandro Borgomanero de 2003 a 2007. O maestro Eliseu Ferreira é novamente o regente titular, cargo que já exerceu de 1999 a 2003.

OS SOLISTAS
ANGELO DIAS desenvolve ampla atividade profissional no campo da música vocal, seja como cantor, regente ou professor, com um repertório variado que inclui óperas, oratórios, missas e cantatas. Desde o início de sua carreira, atua profissionalmente como regente à frente de diversos grupos vocais e instrumentais, entre eles o Coral do Estado de Goiás e a Camerata Vocal de Goiânia, executando um amplo repertório que inclui a música coral a cappella e obras sinfônicas. Desde 2000, presta consultoria como regente convidado do Coro da Fundação Orquestra Sinfônica de Goiânia. Foi professor convidado em diversos festivais no Brasil. Em 2004, atuou como preparador musical e regente da montagem da ópera O Guarany, de Carlos Gomes (produção da Universidade Federal de Uberlândia). Em 2007, a convite do Ministério da Educação, foi consultor para a elaboração do Catálogo Nacional de Cursos Técnicos em Música, tendo ainda atuado como regente e professor do Painel de Regência da FUNARTE em Cuiabá. Angelo Dias é Doutor em Artes Musicais (DMA, Canto e Regência Coral) pela University of Oregon (USA), Mestre em Música (MM, Canto) pela University of Wyoming (USA), e Bacharel em Canto pela Universidade Federal de Goiás. Atualmente, é professor dos cursos de Graduação e Mestrado na Escola de Música e Artes Cênicas da UFG.

MÁBIA FELIPE é Especialista em Performance Vocal, Bacharel em Canto e graduada em Educação Musical pela Escola de Música e Artes Cênicas da UFG . Atua como solista em concertos com orquestras e coros interpretando obras de J. S. Bach, G. F. Handel, W. A. Mozart, F. Schubert, L.van Beethoven, Pe. José Maurício N. Garcia, A. Dvorák, G. Donizzetti, dentre outros. Apresentou-se em Máster Classes com professores de renome nacional e internacional, dentre eles: Ileana Cotrubas (Romênia), Klara Csordas (Hungria), Victoria Yevtiodieva (Rússia), Lélio Capilupi (Itália), Luis Tenaglia (Brasil), Kate Eberly (USA). Em seu repertório operístico interpreta personagens como: Fiordiligi, Pamina e Condessa de Almaviva (Mozart); Mimi, Musetta, Cio – Cio San (Madama Butterfly) e Lia (Puccini); Caterina (Mascagni); Ilara e Cecília (Carlos Gomes). Foi premiada no ano de 2008 com o 2º lugar no VII Concurso de Interpretação da Canção de Câmara Brasileira. Atualmente é professora de Canto pelo Centro de Educação em Artes Basileu França.

MICHEL SILVEIRA iniciou seus estudos musicais em 1992, quando ingressou no Curso Técnico de Canto do então Instituto de Artes da Universidade Federal de Goiás. Em 2003, concluiu o bacharelado na mesma escola, na classe do professor Angelo Dias. Desenvolve intensa carreira como recitalista e camerista, com repertório voltado à canção de arte. Michel tem-se dedicado também como solista ao repertório coral-sinfônico. É convidado regular do Coro da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP), tendo participado de várias programações especiais. No ano de 2000, integrou o elenco da ópera Così fan tutte (Ferrando), de Mozart, em Brasília. Em Uberlândia, nos anos de 2004 e 2007, participou de montagens da ópera Il Guarany (Peri), de Carlos Gomes. Cantou também, em 2006, na montagem de Gianni Schicchi (Rinuccio), de Puccini, realizada pelo Studio Ópera da Escola de Música e Artes Cênicas da Universidade Federal de Goiás. Em 2003, recebeu o primeiro prêmio no Concurso Nacional de Canto promovido pela Universidade Federal de Goiás e, em 2004, participou do 5º Concurso Internacional de Canto Bidú Saião.

SABAH MORAES iniciou os estudos de canto em 1989, na Escola de Música da Universidade Federal do Pará, em Belém com a professora Marina Monarcha. Fez cursos de Técnica e Interpretação Vocal com Marina Monarcha, Niza Tank, Edmar Ferretti, Leila Farah, Inês Stockler, Semita Valenka, Ataulfo Nascimento; Em Belém (PA), Rolândia, Londrina (PR) e São Paulo, participou de montagens líricas como solista. No ano de 1994, através de concurso público, Sabah Moraes passou a integrar o Coral Sinfônico do Estado de São Paulo (coro da OSESP, onde cantou por sete anos), tendo, assim, a oportunidade de ser regida por grandes maestros. Sua estréia na música popular foi em 1993, quando ganhou o 1o. Lugar no Festival da Canção de Marabá (PA) e foi aclamada melhor intérprete por um público de 9.000 pessoas. Gravou em 1998 seu 1º CD Pedra - pré-indicado ao Prêmio Sharp como melhor disco na Categoria Regional. Participou da montagem das óperas “Orfeu” de Monteverdi, onde fez a Musa; da ópera “A Flauta Mágica” (W. A. Mozart), onde interpretou a Primeira Dama; da ópera Gianni Schichi, no papel de Nella, todas sob a regência do maestro Angelo Dias. Lançou em 2005 o CD Ave Encantadeira e em 2007 CD infantil O Mundo é Cheio de Sons, composições de sua autoria com objetivos didático-musicais, Este CD foi selecionado para o Prêmio TIM de Música 2008. É Licenciada em Canto, pela UFG, na classe da professora Marília Álvares e professora de Performance e Canto da Escola de Artes Veiga Vale.

VANESSA BERTOLINI é maestrina e cantora lírica. Leciona na Universidade Federal de Goiás. Possui o Mestrado em Performance Musical pela UFG. Iniciou-se no canto com o Prof. Ms. Marconi Araújo e já foi orientada também por: Profa. Helly Anne Caram, Profa. Dra. Ângela Barra e Profa. Maria Bartira. Foi vencedora do 2˚ Lugar no “VII Concurso Internacional de Canto Bidu Sayão” em 2006. Foi vencedora do 2o. Lugar no “Concurso Nacional de Canto” realizado pela Escola de Música e Artes Cênicas da UFG em 2003. Em outubro de 2000, juntamente com a Associação Coro Feminino de Brasília, apresentou-se para o Papa João Paulo II, no Vaticano. Pela Universidade de Brasília (UnB) graduou-se em Regência e Especializou-se em Canto Lírico. Já se apresentou em mais de dez países, fez parte do elenco de diversas óperas e musicais e já esteve sob a batuta dos seguintes maestros: É natural de Franca-SP, onde com 8 anos de idade foi ganhadora do concurso “A Mais Bela Voz Infantil de Franca” promovido pela prefeitura Municipal da cidade. Lá, se formou no Curso Técnico em Violão Erudito.

O MAESTRO
ELISEU FERREIRA, natural de Anápolis, é Licenciado em Educação Artística, Bacharel em Clarineta e Mestre em Performance Musical pela Escola de Música e Artes Cênicas da Universidade Federal de Goiás. Estudou clarineta na Escola de Música de Brasília e também na Universidade de Brasília na classe do prof. Luiz Gonzaga Carneiro. Estudou regência com o Maestro Emílio de César por vários anos. Participou de festivais, cursos de aperfeiçoamento, e master-classes no Brasil e no exterior, tendo aulas com renomados professores, dentre eles, Dante Anzolini, Roberto Duarte, Aylton Escobar, Kirk Trevor, Tsung Yeh, Neil Thomson e Kurt Masur. Participou de cursos de Regência em Zlin e Kromeriz, na República Tcheca e no Royal College of Music em Londres, Inglaterra. Além de clarinetista, foi também Regente Assistente da Orquestra Filarmônica de Goiás. Foi o Regente Titular da Orquestra Jovem de Goiás, da Orquestra Planalto Central, Orquestra de Câmara de Goiânia, Camerata Vocal de Goiânia e da Banda Sinfônica do CEFET-GO. Trabalhou como Assistente do Maestro Emílio de César no Festival Eleazar de Carvalho em Fortaleza-CE por vários anos. Foi Regente Titular e Diretor Artístico da Orquestra de Câmara Goyazes de 1999 a 2003, grupo que passou a dirigir novamente em 2008. Foi Regente Adjunto da Orquestra Sinfônica de Goiânia de 2003 a 2005. Desde 2002 é o Regente Titular da Orquestra Sinfônica Jovem de Goiás, com a qual tem realizado um intenso trabalho didático, realizando séries de concertos em todo o Estado de Goiás.


Realização:
· Estado de Goiás
· Agência Goiana de Cultura Pedro Ludovico – AGEPEL

2 comentários:

dandara disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
dandara disse...

ola maestro eliseu se enteressar
coloquei alguns videos da orquestra goyazes no you tube
dandara.

http://www.youtube.com/watch?v=dwrCiLsOTm4

http://www.youtube.com/watch?v=iURzC_8NRcA